Bioeletricidade

O Brasil, através do Plano Decenal de Expansão de Energia 2027 (MME, 2018) estabeleceu para si alguns desafios, destacando-se dentre estes o de atender “aos objetivos de desenvolvimento sustentável acordados internacionalmente” para tanto promovendo uma “diversificação de fontes limpas”.

A Umoe Bioenergy S.A., ciente do seu compromisso para com o desenvolvimento do País, busca também dar a sua contribuição frente a este objetivo. Desde 2012, dispõe de unidade de Cogeração de Energia a partir do bagaço. Esta unidade termoelétrica (UTE) ao empregar como combustível a biomassa contribui para redução das emissões de GEEs decorrentes da geração de energia elétrica e auxilia ao país no cumprimento de metas internacionais como aquelas estabelecidas no Acordo de Paris (Cop21).

Com capacidade nominal atual de cerca de 60 megawatts [Mw], no último triênio, a UTE Umoe pôde contribuir com estes objetivos globais ao proporcionar a produção média de cerca de 217.000 [Mw]. Convertendo este valor, temos que esta energia seria suficiente para atender um município de aproximadamente 6,5 vezes maior que o município de Sandovalina.

A Umoe Bioenergy se orgulha de poder produzir energia limpa e renovável, aproveitando toda matéria-prima cultivada em seus canaviais, contribuindo para com o desenvolvimento regional, nacional e global.